Feambra na mídia! Leia aqui as últimas entrevistas concedidas à imprensa

Content is available only in Portuguese. For more information contact us at feambra@feambra.org
06- Novembro - 2017

Feambra na mídia! Leia aqui as últimas entrevistas concedidas à imprensa

 

 

Clique aqui e confira a matéria do Canal Futura que teve a participação do nosso Diretor de Relações Internacionais, Nelson Colás. Ele falou sobre a importância que os museus e entidades culturais exercem na vida das pessoas. A reportagem girou em torno de uma pesquisa realizada pelo Ipea (Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada) que aponta que 70% dos brasileiros nunca foram a museus ou a centros culturais e mais da metade não frequenta cinema. São Paulo é a capital da América Latina com a maior quantidade de museus. No mundo, perde apenas para Nova York, Londres, Berlim e Paris. São 110 espalhados pela capital. 


O estudo tem como objetivo formular um indicador sobre a percepção da população em relação aos serviços prestados pelo Estado. A pesquisa também revelou que 51,5% da população nunca vão a shows de música. Contudo, 78% disseram assistir à TV e a DVDs/Netflix todos os dias e 58,8% afirmaram ouvir música diariamente. O Ipea analisou também as barreiras para o acesso à cultura. A maioria, 71%, afirma que os preços altos são um importante empecilho ao acesso cultural. Foi pesquisada, nas cinco regiões brasileiras, a percepção da população em relação à localização dos equipamentos e espaços culturais e sua proximidade com o local onde moram.


Aproveite e conheça outros dados sobre acesso à produção cultural.


Entretenimento: Quase todos os brasileiros nunca frequentaram museus ou jamais entraram em uma exposição de arte. Mais de 70% dos brasileiros nunca assistiram a um espetáculo de dança, embora muitos saiam para dançar. Grande parte dos municípios não possui salas de cinema, teatro, museus e espaços culturais multiuso.

Livros e bibliotecas: o brasileiro praticamente não tem o hábito de leitura. Os livros estão concentrados nas mãos de muito poucos. O preço médio do livro de leitura é muito elevado quando se compara com a renda do brasileiro das classes C/D/E. Muitos municípios brasileiros não têm biblioteca — a maioria destes se localiza no Nordeste, e apenas dois, no Sudeste.

Acesso à Internet: uma grande porcentagem de brasileiros não possui computador em casa. Destes, a maioria não tem qualquer acesso à internet (nem no trabalho, nem na escola).


A focalização das políticas culturais nos níveis estaduais e municipais pode favorecer a superação desse quadro e reforçar a diversidade cultural como fator da sustentabilidade do desenvolvimento.


Na Região Sul, 55,3% dos entrevistados consideraram que os equipamentos culturais são mal situados; na Região Sudeste, essa é a percepção de 53,8% da população; na Região Centro-Oeste, essa percepção atinge 44,5% das pessoas; no Nordeste, o percentual é de 51,2%; e, na Região Norte, é de 43,4%. 


Em âmbito nacional, pouco mais da metade da população avaliou que os equipamentos culturais são mal situados em relação ao local onde moram. Cerca de 41% da população têm a mesma percepção em relação aos lugares públicos de encontro. Já o comércio foi apontado como bem situado por quase 60% das pessoas. Foram avaliados ainda os espaços verdes, como praças e parques, que são percebidos como bem localizados por 30,7% dos entrevistados. Para outros 31%, esses espaços foram classificados como mal situados. Os equipamentos esportivos são percebidos como mal situados por 43,2% da população. 


O Ipea ouviu 2.770 pessoas nas cinco regiões do país. A margem de erro da pesquisa é de 5% e o grau de confiança é de 95%.


O diretor também falou à TV Brasil sobre o crescente interesse pela visitação a museus. Para acessar:

  

 

 

 

 Link: http://bit.ly/2AoRDWn