Ibram lança selo de 200 anos dos museus

Content is available only in Portuguese. For more information contact us at feambra@feambra.org
30- Maio - 2018

Ibram lança selo de 200 anos dos museus

O Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) lançou, no início desse mês, no dia 3, uma logomarca para comemorar os 200 anos de museus no País. Nesse ano, se completam 200 anos desde a criação do Museu Nacional, que hoje é vinculado à Universidade Federal do Rio de Janeiro (URFJ).


O selo estará presente em todos os produtos lançados pelo Ibram durante o ano de 2018 e também será utilizado em todas as ações promovidas pelo órgão e pelos museus associados. Na programação, consta ainda a realização de seminário temático no Rio de Janeiro, além do lançamento da edição especial da Revista Brasileira de Museus e Museologia (MUSAS).


A Feambra conversou com Ana Lourdes Costa, coordenadora de Promoção e Gestão da Imagem Institucional do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram), para saber mais detalhes sobre o selo de 200 anos lançado pelo Ibram.


Feambra: O que significa, para o Ibram, o selo de 200 anos?

Ana Lourdes Costa: Significa comemorar a trajetória das instituições museais brasileiras ao longo desses anos, desde a criação – por meio de decreto assinado por D. João VI –, da primeira instituição museológica do país, o Museu Real, que hoje é o Museu Nacional da UFRJ. Também é um ano para se comemorar os mais de 3.700 museus localizados nas cinco regiões do país, suas conquistas e desafios. O selo também tem o intuito de marcar e dar visibilidade a essa comemoração, lembrando aos diversos públicos que os museus são espaços dinâmicos, de transformações sociais que dialogam com diversas memórias, sejam coletivas ou individuais, por meio das diferentes manifestações e referências culturais brasileiras.


F: Qual é sua visão sobre os 200 anos de museus no Brasil?

A.L.C.: É uma data comemorativa que cria oportunidades a mais para refletirmos sobre o que os museus significam em nossa sociedade. Em um país onde a maioria das pessoas não possui o hábito de frequentar museus, por inúmeras razões, esse é um momento em que podemos refletir sobre a trajetória dessas instituições. 


F: Qual a principal mensagem que o Ibram pretende transmitir ao desenvolver a nova logomarca e as ações junto aos museus associados?

A.L.C.: Que os museus são instituições que comunicam, preservam, pesquisam, educam, mas que também estão abertas ao lazer ou à contemplação. Que de espaços herméticos, local das narrativas das elites nacionais, os museus refizeram e refazem sua trajetória e se propõem a ser locais abertos ao diálogo, participativos, democráticos, críticos, diversos em suas muitas dimensões: sociais, culturais, econômicas, de gênero, étnicas.


F: Há quanto tempo se preparam para realizar essas ações comemorativas?

A.L.C.: Há um ano.


F:  O que se espera ao lançar o selo?

A.L.C.: Primeiro, o reconhecimento dessa importante data para a cultura brasileira. Segundo, fortalecer a imagem e dar visibilidade aos museus brasileiros, aproximando as pessoas dos museus. E, o mais importante, lembrar aos poderes públicos a importância dessas instituições para o País. Essa é a grande janela de oportunidade para que os museus sejam inseridos na pauta da cultura, das políticas e dos investimentos públicos e privados.