Em Foco

07- Julho - 2010

Casa das Sete Mortes é reaberta em Salvador

Conhecida como Casa das Sete Mortes, o imóvel construído no século 17 e decretado Patrimônio Nacional pelo Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan), em 1943, foi reinaugurado no dia 1º de julho pelo Governo do Estado da Bahia.

A obra de restauro faz parte do Plano de Reabilitação do Centro Antigo de Salvador (CAS), proposição número seis, que visa qualificação dos monumentos e espaços culturais da cidade. Segundo o diretor geral do Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural do Estado (Ipac), Frederico Mendonça, a casa estava em ruínas e os restauradores e engenheiros precisaram reconstruir toda a estrutura, além dos itens históricos e artísticos. Na restauração foram gastos R$ 31 milhões do Programa de Desenvolvimento do Turismo no Nordeste (Prodetur 2), com a contrapartida do governo estadual e aporte do Banco do Nordeste (BNB).

Em relação ao nome da construção, está documentado no Arquivo Público da Bahia que nela, em 1756, foram assassinados a facadas o Padre Manuel de Almeida, dois escravos negros e um homem pardo liberto. Existem diversas lendas populares sobre a construção, como histórias de barulhos noturnos e fantasmas, que os moradores da região contam. Fatos naturais vindos de uma casa centenária, suntuosa e, até há pouco tempo, abandonada no tempo. Porém, o que ela tem de mais interessante o público já poderá conhecer: azulejos dos séculos 17, 18, 19 e 20, peças inglesas, vários tipos de pisos antigos e painéis. Tudo recuperado com técnicas avançadas e precisas.

A Casa é localizada na Rua do Passo, nº 24, Centro Histórico, Salvador (BA).

Para conhecer os detalhes históricos da construção visite: www.pelourinho.ba.gov.br