Guia Feambra

Informativo Feambra - Outubro/2007

Palavra do Presidente                                                                            
                                                                               
As Associações de Amigos de Museus tem como função, dentre outras, divulgar ao público as exposições e amostras dos museus aos quais representa. São elas, o braço direito da comunicação dos museus, que leva a todo brasileiro, a possibilidade de conhecê-los, do norte ao sul, de leste a oeste do país. A Federação de Amigos de Museu do Brasil, a fim de auxiliá-las nessa grande função, abre um espaço em seu site e no boletim mensal para que estas apresentem seus planos e projetos e possam divulgá-los a fim de virem a ser divulgados.
 
Queremos ressaltar a importância das Associações de Amigos de Museus, para que membros da comunidade em geral se associem a elas e possam compartilhar da luta pela valorização dos museus nacionais. Vale a pena citar que os museus europeus são tão valorizados graças as suas Associações e, isso é tão importante, que existe a Federação Mundial de Amigos de Museus, da qual fazemos parte.
 
Por isso, e, por causa disso, pedimos a todas as Associações Brasileiras que nos remetam  toda historia a qual representam. Agindo desta forma, nós estaremos cumprindo uma das finalidades a qual fomos concebidos que é ajudar, divulgar e unir as Associações de Amigos de Museus do Brasil.
 
Façam contato conosco e informe a interessados que a Federação de Amigos de Museus está aberta para recebê-los.

José Marcelo Braga Nascimento
Presidente da FEAMBRA

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Notícias Nacionais

Museu da língua portuguesa, o preferido dos paulistanos.
    
Inaugurado há 1 ano e meio o museu da língua portuguesa tem se mostrado uma grande fonte de entretenimento e cultura  para quem vive na capital.

Os motivos para esse sucesso podem ser explicados: o museu fica ao lado da estação da luz, que por si só já é uma atração e a reforma no prédio realizada por Paulo Rocha Mendes, que mescla elementos clássicos com  contemporâneos.

O museu também surpreende com recursos multimídia, despertando a atenção dos jovens e a curiosidade das crianças. Essas ferramentas ajudam o visitante a embarcar em um mundo novo e entender melhor seu país e sua língua.

Comemorando os cinqüenta anos da Obra de Guimarães Rosa, Grande Sertão - Veredas foi o nome escolhido para a primeira exposição que levou mais de 45 mil pessoas a cada mês ao museu. Repetindo o sucesso, a exposição Clarice Lispector – A Hora da estrela -  que termina esse mês,  já foi vista por mais de 250 mil pessoas.

Ultrapassando o número de visitas da Pinacoteca do Estado, o museu da Língua Portuguesa,já consagrou-se como um ótimo passeio para o fim de semana.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Masp reabre acervo com nova disposição de obras

O Museu de Arte de São Paulo reabriu seu acervo apresentando uma nova disposição das obras,  agora  por tema, e não mais por ordem cronológica. Essa medida foi tomada para se ter outro conceito e visão da arte encontrada no museu.

O Tate Modern, em Londres, e o Centro Pompidou, em Paris também utilizam atualmente esta forma de apresentar cronologicamente seu acervo. Espera-se desse modo dar ao público outras formas de entender as obras que não seja em uma seqüência de tempo.

O Masp também comemora 60 anos com a exposição a “Arte do Mito”, que dispõe de 49 obras de diferentes períodos. E pretende, ao longo do tempo, ter a nova disposição temática feita em todo seu acervo. O curador Roberto Carvalho de Magalhães tem por objetivo separar o acervo pelos temas paisagem, natureza-morta e retrato.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Museu do Pantanal recriará história da região


Conhecer em poucas horas, a cultura, a biodiversidade, e a beleza natural do Pantanal é o objetivo do Museu de Historia de Pantanal (Muhpan). Ele está sendo criado na cidade de Corumbá em Mato Grosso do Sul.

O Museu será abrigado no antigo casarão Wanderley&Bais, que faz parte do mais importante conjunto arquitetônico da região - o Casario do Porto. Os 1.600 metros estão sendo restaurados, porém as grossas paredes ainda são de calcário original, assim como o piso de ladrilhos que tem mosaico das cores café, areia, preto e laranja.

Com interatividade e tecnologia o visitante será transportado para outro mundo. Recursos visuais como a mudança de paisagem (de seca para enchente e do dia para noite) , efeitos sonoros com sons de pássaros, relâmpagos e chuva ajudam a ambientação.

O museu contou com a ajuda de toda a população local, na doação de objetos antigos e importantes. Foram doadas balas de canhão e espadas utilizadas na Guerra do Paraguai (1864-1870), um cocar da tribo indígena bororo, mapas espanhóis, entre outras raridades.

Um passeio pelo museu começa contando a pré historia da região, com fosseis e vestígios arqueológicos como primeiros sinais de civilização pantaneira. Seguindo o roteiro, passamos pela conquista espanhola, as missões jesuítas e expansão dos bandeirantes, terminando no século 20.

Duas salas também merecem destaque. Localizadas no andar térreo - Imersão ao Pantanal - como é chamada - nela há um corredor escuro coberto de espelhos refletindo a fauna e a flora. A outra - Os Pantanais - traz grande fotos aéreas, colocadas em discos no chão.

No projeto haverá outras salas. Numa delas se contará a historia do edifício, outra exclusiva para historiadores e arqueólogos e até as famosas lojinhas de museus.

O Museu da Historia do Pantanal é patrocinado pelo Ministério da Cultura e pela Petrobrás, que já disponibilizou R$ 2 milhões para a construção.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Obras de Di Cavalcanti expostas em São Paulo

Com o tema de Di Cavalcanti 110 anos – Flores e Amores -  a exposição chegou em São Paulo dia 2 de outubro de 2007, no Espaço BM&F e promete homenagear um dos pintores mais marcantes da cultura brasileira.
 
A exposição reúne 20 pinturas a óleo, sob a responsabilidade da curadora Denise Mattar. As obras foram dispostas de acordo com as fases de Di Cavalcanti, com quadros da Semana da Arte Moderna de 1922 até a sua morte em 1976.

Os quadros emprestados de diversos lugares, entre eles do acervo de Roberto Marinho e do MAM (Museu de Arte Moderna) ilustram a exposição, que também apresenta poemas e textos do pintor.

A exposição é bem densa e pequena, mas um colírio aos olhos, de um pintor que contemplava a beleza feminina.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Exposição de Kurt Schwitters chega ao Brasil


Um dos expoentes do dadaísmo alemão, chega ao Brasil na exposição "Kurt Schwitters (1887-1948) - O Artista Merz" , com mais de 120 obras, entre outros trabalhos inéditos no começo da carreira.   

Como toda pintura dadaísta, seus quadros são feitos de colagens,materiais como papéis, propagandas, surgindo daí o nome Merz.

Desde a VI Bienal Internacional de São Paulo (1963) os quadros de Schwitters não vinham para o Brasil, sendo raras suas obras em acervos públicos.

A exposição vai de 17 de outubro a 2 de Dezembro de 2007, na Pinacoteca do Estado de São Paulo.

Valor do ingresso: R$ 4. Grátis aos sábados.
Horário de funcionamento: Terça a domingo, das 10 às 18hrs.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Notícias Internacionais


Bienal Europalia cria “museu imaginário”


Obras de artistas renascentistas, pinturas rupestres e a escadaria de Florença projetada por Michelangelo no mesmo lugar? Isso é possível no museu imaginário criado com objetivo de representar a diversidade da Europa.

Foram escolhidos 27 artistas da União Européia, cada um escolhendo a obra mais significativa na cultura européia. A lista surpreende com nomes como Caravaggio, Diego Velásquez e Piero della Francesca. Também estão na lista edifícios e construções como Arena de Verona, na Itália e Stonehenge na Grã-bretanha.
 
O Museu Imaginário é um vídeo e faz parte da Europalia, bienal de arte, dedicada a mostrar a construção cultural na Europa, em áreas como musica, teatro, dança, artes plásticas, literatura e cinema. A bienal permanece em Bruxelas até fevereiro de 2008. Ótima informação!

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

MoMA tem curadoria especial para arte latino-americana


O Museum of Modern Art (MoMA), de Nova York, tem como curador de seu acervo de obras latino-americanas, o venezuelano Luiz Pérez-Oramas. Há inúmeros planos para se dar maior visibilidade a essas obras no contexto internacional, um deles é a exposição apresentada no próximo mês, com obras de Ligia Clark e Helio Oiticica, adquiridas em seu acervo nos últimos cinco anos. Para o ano de 2009, Oramas pretende fazer uma retrospectiva com a brasileira Mira Schendel, além de contar com a arte feita pelo argentino Leon Ferrari.

A venda da arte latino-americana para o exterior é muito discutida entre aqueles que acreditam que a obra não deve sair de seu país, enquanto outros, visam expandi-la o público mundial. Oramas defende que apesar de não concordar com a deformação de seu conteúdo original, as obras devem ser conhecidas também em outros países.O curador Pérez Oramas afirma que a hora para uma expansão da arte latino-americana é bem-vinda no mundo. Isso, porque, por exemplo, nos Estados Unidos, onde no momento há muito interesse nessas obras, havia a predominância do estilo pop art e, atualmente, se observa uma grande diversidade demográfica, especialmente hispano-americana, nesse mesmo país. Isto tem provocado mudanças em sua percepção cultural.

Além de curador do MoMA, Oramas fez parte da organização da Bienal do Mercosul que está acontecendo em Porto Alegre até o dia 18 de novembro deste ano. Sua contribuição trouxe vários artistas venezuelanos, para fazer parte da bienal, o que para ele significou uma interação entre artistas latino-americanos em sua própria diversidade estética.