Guia Feambra

Informativo Feambra - Março/2008


Palavra do Presidente 

O Masp apresenta por todo mês de Março uma exposição intitulada “Estratégias para entrar e sair da Modernidade” . Conta com 150 obras de artistas que consagraram a Semana de Arte moderna de 1922. Vale a pena conferir esta exposição, cujo objetivo é dar o valor que essas obras nunca antes tiveram.

A Semana de Arte Moderna ocorrida no período de 11 a 18 de Fevereiro de 1922 foi uma ebulição de novas idéias, libertadas dos padrões convencionais, mostrando sua própria identidade. O objetivo dos artistas era encontrar caminhos diferentes dos conhecidos. Instaurada de uma maneira irregular, sem estar adaptada ao tempo e a características da época, causou uma espécie de espanto misturado a indignação. Muitos dos artistas foram chamados de loucos e vagabundos, pois na época os artistas já não eram muito bem vistos, considerados boêmios, sem uma vida tradicional e regrada.

Ressaltamos que a Semana não teve tanta importância em sua época e que, ao longo do tempo ganhou projeção histórica e ideológica. A Semana de 22 desencadeou muitos movimentos, sendo alguns deles presentes até hoje. Muitos Museus apresentam exposições isoladas dos artistas da época como Anita Malfatti, porém deve-se dar valor para o conjunto e apresentar essa semana revolucionaria como ações culturais interligadas e muito importantes para o mundo em que vivemos.

José Marcelo Braga Nascimento 
Presidente da Fambra

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Exposição em Petrópolis comemora vinda da Família Real

Há 200 anos atrás, a família real desembarcava em nossas terras trazendo pessoas, alimentos e uma cultura diferente. Hoje, com a tecnologia no século XXI, ainda se tem tempo para lembrar e comemorar, um pouco sobre a história de nosso país e fuga da família real para sua colônia, o Brasil.

Umas das exposições que fazem parte do ciclo de comemorações sobre os 200 anos da vinda da família real, está no Museu Imperial de Petrópolis, e pretende fazer o visitante entrar na intimidade da época e conhecer um pouco mais a fundo sobre D. João VI e Carlota Joaquina.

Entre as peças que fazem parte da exposição, estão a coroa utilizada por Dom Pedro II, alem de objetos pessoais, como vestimentas e correspondências escritas por Carlota Joaquina. Outro sucesso são os retratos pintados da corte, cujo principais artistas foram Jean Baptiste Debret, e Nicolas Antoine Taunay.

Para quem não estiver no Rio de Janeiro, poderá ver alguma obras expostas no próprio site do Museu Imperial(www.museuimperial.gov.br) , com explicações bem feitas sobre os costumes e características da época.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------
            
Gravuras Na FAAP

As gravuras sempre tiveram papel importante na retratação do época, antes mesmo da invenção da Fotografia, e sempre foi disputada com as obras de arte.         Elas,  como poucas pessoas conhecem, são impressões de tinta feitas a partir de uma matriz e são elaboradas de acordo com um numero de tiragem, sendo considerada as primeiras, as mais procuradas. Levando em conta todo preparo e a importância da gravura, o Museu de Arte Brasileira da FAAP, reuniu mais de 600 peças, feitas por artistas como Oswaldo Goeldi, e internacionais como Rugendas, artista que retratou a vida dos escravos e sua cultura na África e no Brasil XVIII.

A exposição vai até dia 16 de Março de 2008.

Endereço: Rua Alagoas, 903 – Higienópolis
Horário: de Terça a Sexta-feira, das 10h as 20h. Sábados, Domingos e Feriados, das 10h as 17h.
Valor: R$ gratuito

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Artista homenageia idosos e os 100 anos da imigração japonesa

Prestes a comemorar os 200 anos da imigração japonesa no Brasil, uma exposição conta, de maneira contemporânea, a cultura do outro lado do mundo. O artista Tatsumi Orimoto, japonês,utiliza o 1º e º subsolo do Masp, Museu de Arte de São Paulo, grande conhecido pelo recente desaparecimento de 2 quadros.

Na exposição, vale conferir a serie Art Mama, que tem como protagonista sua própria mãe, vitima do mal de Alzheimer. Para Orimoto, usar sua mãe em sua obras é uma atitude contraditória e corajosa, quanto aos modelos societários pré-estabelecidos, ou seja, invés de sua mãe ser condenada a exclusão de sua idade, faz de sua vida ativa e com repercussão internacional. Tatsumi dedica boa parte da exposição aos idosos, muito respeitados no Japão.

Outra serie de destaque é a Bread men, em Inglês, Homem-pão. O pão,  simbolicamente indica a integração e a comunicação entre duas partes, sendo elas,  o Oriente e o Ocidente.

Orimoto traz costumes e tradições estampadas em sua obras, sendo 160 desenhos, aquarelas e quase mil fotografias. Para o curador da exposição Teixeira Coelho, a mostra oferece de um modo alternativo a arte contemporânea que sempre foi descrita de forma formalizada.

Alem da exposição, Tatsumi Orimoto ainda apresenta uma performance intitulada 50 Grandmamas, baseada numa oferenda na qual é servida um arroz, tradicional do Japão. O convite será feito para todas as avós, e especialmente a comunidade nipo-brasileira.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Exposição Virtual conta história do Telefone

Está em casa, sem dinheiro, ou tempo para ir ao Museu? Confira a exposição virtual, sobre a evolução dos aparelhos telefônicos, no site do Museu do Telefone.

A exposição mostra os aparelhos mais importantes já inventados, alem de trazer informações sobre a época e os países em que eram utilizados.

No site você encontra também uma linha do tempo, os grandes inventores, imagens sobre o passado e conteúdos educativos, que ensinam como fazer um tubo acústico e um telefone de brinquedo.

O site  http://www.museudotelefone.org.br/expo_virtual.htm 
é um bom passatempo para as crianças aprenderem um pouco mais sobre a história, e também para adultos curiosos.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Museu mostrará o dia-a-dia do jornalismo

Após seis anos de planejamento e construção, e mais de 780 milhões de reais, o Newseum, situado em Washington, Estados Unidos, será mais um cartão postal ao lado da Casa Branca e do Capitólio e explora um tema muitas vezes esquecido: o jornalismo.

O Museu inova trazendo 2 estúdios, 15 teatros, 14 galerias, e um cinema em 4-D  apresentando noticias que abrangem 150 anos, alem de  contar com a Galeria do Muro de Berlim, no qual inclui partes do Muro e uma torre de vigilância. Outra Galeria importante exibe algumas das fotos premiadas no Pulitzer, prêmio que elege os melhores nas categorias de jornalismo, literatura e música.
O Museu oferece interatividade oferecendo ao visitante a chance de apresentar a previsão do tempo, narrar uma noticia em frente às câmeras e participar de um telejornal.

A inauguração será dia 11 de Abril, sendo neste dia a entrada livre. A partir do dia 12 de Abril o ingresso cobrado será US$ 20, para adultos(de 13 a 64 anos), US$ 18 para pessoas a partir dos 65 anos e US$ 13, para adolescentes, de 7 a 12 anos. Para crianças menores de 7 anos a entrada não é cobrada.

-----------------------------------------------------------------------------------------------------------------------------

Quadro de Monet é falso


A obra “Margens do Sena em Port Villez”, pintada por Claude Monet é falsa, revela os especialistas. O Quadro estava exposto no Museu alemão Wallraf-Richartz, e estava passando por análise de raio X, quando descobriram fortes indícios de fraude. A assinatura do quadro estava mais forte, e havia um desenho sob a pintura,  características não atribuídas ao pintor, alem de sido utilizada uma substancia química dando um efeito de antigo.

O quadro faz parte de uma coleção, pintados à margem do Rio Sena, entre 1880 e 1890, como a obra “La Seine à Asnières”.