Em Foco

22- Novembro - 2010

Palácio da Aclamação, na Bahia, será tombado pelo Estado

Mais que uma simples manutenção, o tombamento representa a preservação histórica e cultural da população brasileira

O Palácio da Aclamação, residência de governadores baianos por mais de cinco décadas, está prestes a se tornar patrimônio cultural da Bahia. O estudo para o tombamento, realizado pelo Instituto do Patrimônio Artístico e Cultural (IPAC), já teve parecer favorável e apresenta previsão de oficialização para dezembro de 2010.

O prédio, que já foi palco de acontecimentos importantes para o Estado, conta com uma estrutura neoclássica e decoração interna no estilo Luís XVI. Seu acervo permanente é composto por mobiliários, bronzes, tapetes, porcelanas, entre outros objetos que chamam a atenção do público visitante pelo requinte e elegância.

Após o tombamento, o imóvel passará a ser oficialmente controlado pelo IPAC, que trabalhará em prol da manutenção de sua arquitetura original. Além disso, o Patrimônio Cultural também conta com incentivos à sua conservação, por meio de prioridade nas linhas de crédito destinadas às restaurações e concedidas pelos poderes municipal, estadual ou federal.

A importância dessa iniciativa não fica restrita apenas à conservação arquitetônica do palácio, mas representa a vitalidade dos fatos e acontecimentos históricos que ali transcorreram. Dessa maneira, colabora para que a história e a cultura de nossos antepassados não caiam no esquecimento e sejam preservadas por um longo período de tempo.