Guia Feambra

Fique por Dentro – Dezembro/2013





Nessa edição:

Abertas as inscrições para oficina de jornalismo no Espaço Cultural Feambra
O renomado jornalista e escritor Edison Veiga apresenta uma proposta inovadora para quebrar a rotina de uma redação

Voluntariado em museus é tema de programas nas rádios Jovem Pan e CBN
Diretora-executiva da Feambra fala da necessidade de ações voluntárias em museus, com grande potencial

Museu do Homem Americano abriga peculiaridades da Serra da Capivara
Veja trechos da entrevista com a Dra. Niéde Guidon, diretora-presidente do museu localizado no Estado do Piauí

 

Abertas as inscrições para oficina de jornalismo no Espaço Cultural Feambra 
 
 
 
O renomado jornalista e escritor Edison Veiga apresenta uma proposta inovadora para quebrar a rotina de uma redação. Com a oficina “Jornalirismo: A Poesia dos Fatos”, com início em 21 de janeiro, tem o objetivo de preparar os futuros profissionais para fugir do convencional na construção dos textos e se destacar na carreira. Imperdível!

Voltado para estudantes de Jornalismo, Comunicação e Letras, a oficina traz para os alunos da área a realidade da rotina de uma redação de jornal tradicional, onde se cumprem pautas factuais, com apelo de poesia ao invés da prosa.

Edison Veiga é autor dos livros “O Theatro Municipal de São Paulo – Histórias surpreendentes e casos insólitos”; “Mingutas: correndo da carranca do carimbo, caramba!” e “O Menino que Sabia Colecionar”.  Semanalmente assina a coluna Paulistices, publicada no caderno Divirta-se do jornal O Estado de S. Paulo.

Início – 21/1/2014 – (terça-feira)
Duração – 4 encontros
Carga horária – 12 horas
Dias e Horários – 21/1 – 28/1 – 4/2 – 11/2 – (terças-feiras) - das 9 às 12 horas 
Investimento - R$ 625,00 reais
Informações e inscrições: feambra@feambra.org e (11) 3085 4402

 

Voluntariado em museus é tema de programas
nas rádios Jovem Pan e CBN
 

  

 
A Feambra vem obtendo cada vez mais espaço na imprensa com o objetivo de chamar a atenção para a importância dos museus e de seus amigos. Recentemente, o tema do voluntariado em museus foi abordado em duas entrevistas concedidas pela diretora-executiva da Feambra, Camila Leoni Nascimento, nas rádios Jovem Pan (3 de dezembro) e CBN (7 de dezembro).

Segundo Camila, o voluntariado tem crescido fortemente nos últimos anos, mas é uma realidade ainda pouco visível e reconhecida na sociedade brasileira. “Para países em desenvolvimento social e cultural, são vários os efeitos práticos do trabalho voluntário tanto para os museus quanto para a própria sociedade”, afirma.

Ela pontua que, no geral, existe certa resistência nos museus brasileiros ao trabalho voluntário por diversas razões: conceito do voluntariado pouco difundido; não têm um programa formal para os voluntários ou mesmo oferta de vagas; linhas de pensamentos divergentes entre os principais dirigentes dessas entidades, entre outras.

“A crescente sensibilidade do trabalho voluntário como forma de ação cívica caracteriza-se pela atuação de ONGs, fundações e empresas privadas numa espécie de co-responsabilidade entre tais instituições e o Estado”, diz a diretora-executiva da Feambra. No entanto, ainda é preciso despertar a atenção para investimentos e ações voluntárias voltadas aos museus. “Para uma sociedade complexa e em desenvolvimento, o papel dos museus é de grande importância para a valorização e preservação do patrimônio cultural e da transformação da sociedade”, defende.

 

Museu do Homem Americano abriga peculiaridades da Serra da Capivara 
 
  

 
Localizado dentro do Parque Nacional Serra da Capivara, no Piauí, o museu atrai, de forma lúdica, todas as pessoas que queiram aprender um pouco mais sobre os vestígios da presença humana na região do Parque Nacional.

Confira abaixo trechos da entrevista concedida à Feambra da Dra. Niéde Guidon, diretora-presidente do museu

Feambra: O que o visitante encontra no museu?
Niéde Guidon: O visitante encontra no Museu do Homem Americano resultados dos 40 anos de pesquisas científicas realizadas na região do Parque Nacional Serra da Capivara, em quatro salas de exposições. A primeira contextualiza as teorias mais recentes sobre o povoamento das Américas e apresenta artefatos encontrados no Sítio Boqueirão da Pedra Furada e Sítio do Meio que comprovam a antiguidade da ocupação de nosso território. A segunda sala apresenta as pinturas rupestres encontradas no Parque Nacional Serra da Capivara. No mezanino, o visitante encontra as diversas tipologias de enterramentos encontrados na região. Por último, é apresentada uma cronologia da tecnologia desenvolvida por nossos antepassados da pedra lascada, passando pela pedra polida e cerâmica até os vestígios históricos, com ênfase na cultura dos grupos maniçobeiros, antigos extratores de látex da maniçoba, atividade econômica que complementou o Ciclo da Borracha.

F.: Qual é a relação entre o Parque Nacional e o museu?
N.G.: O Museu do Homem Americano apresenta vestígios e artefatos arqueológicos que foram encontrados no Parque Nacional Serra da Capivara e em seu entorno. Sua visitação pode ser complementar ou independente à visitação ao Parque Nacional.

Para ler a entrevista na íntegra, clique aqui.