Notícia

19- Dezembro - 2014

Federação conversa com Associação dos Amigos do Museu de História da Medicina

A Feambra teve o prazer de conversar com a AAMUHMRS - Associação dos Amigos do Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul. O diretor, doutor Germano Bonow, nos concedeu a entrevista a seguir.

1. O que é a AAMUHMRS - Associação dos Amigos do Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul?

É uma associação cultural de direito privado, sem fins lucrativos, com prazo de duração indeterminado. Entidade auxiliar, sem recursos regulares, atua arrecadando valores para projetos permitidos pela Lei Rouanet. O museu tem gestão própria e é mantido pelo Sindicato Médico do RS (SIMERS).

2.  Quem pode fazer parte?

Pessoas físicas e/ou jurídicas.

3. Qual é a finalidade da AAMUHMRS?

Prestar apoio ao MUHM  - Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul, promovendo  aprimoramento e desenvolvimento de suas atividades.

4. Como a AAMUHMRS realiza suas atividades?

De diversas maneiras: com a aquisição de acervos para o museu, de acordo com a política de aquisição previamente estabelecida; auxiliando nos programas de processamento técnico, conservação e restauração dos acervos; por meio de apoio e/ou promoção de cursos, conferências e seminários; incentivando estudos e pesquisas nas áreas ligadas ao Museu de História da Medicina; apoiando a realização de exposições temporárias e itinerantes; buscando meios para o custeio das atividades e eventos promovidos pelo Museu de História da Medicina; realizando o intercâmbio com outras instituições congêneres, no país e no exterior; promovendo a obtenção de  recursos, subvenções e doações, destinadas ao desenvolvimento e execução de projetos e programas do Museu de História da Medicina.

5. Como é organizada a AAMUHMRS?

A AAMUHRS é integrada pelos seguintes órgãos: Assembleia Geral, Diretoria Executiva e Conselho Fiscal. Não é a AAMUHM quem tem o acervo ou cuida dos critérios de exposição. A entidade pretende congregar em seus quadros não só médicos, mas todos os entusiastas pela história da medicina no Rio Grande do Sul. Profissionais e estudantes das mais distintas áreas estão aptos a somar-se ao projeto que visa fortalecer as atividades que até então vêm sendo subsidiadas pelo SIMERS.

6. Há quanto tempo existe o MUHM - Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul?

O MUHM tem oito anos de atividades. Fundado em 2006 e desde 2007 sediado no prédio histórico da Beneficência Portuguesa de Porto Alegre, já realizou 14 exposições em sua sede, uma virtual. Viajou com duas exposições por mais de trinta cidades do interior, além de participar de mostras a convite de outras instituições.

7. Houve algum tipo de comemoração ?

Para comemorar o aniversário e o mês do Médico, o MUHM levou seu acervo para mostras nos hospitais São Lucas, da PUCRS, e Moinhos, onde expõe em conjunto com outras entidades  formadoras da Rede Sul-Rio-Grandense de Memória da Saúde. Realizou a terceira edição do seu ciclo de palestras de Conservação e Preservação com o tema Educação para o Patrimônio e homenageia médicos por meio do seu Destaque do Acervo. Outra homenagem foi a produção de um painel com desenhos feitos por pacientes do Hospital da Criança Santo Antônio.

8. O museu oferece algum tipo de evento?

Desde 2009 realiza Saraus Líricos mensais dentro do Projeto Quintas no MUHM, além de atividades como o MUHM vai à Escola, MUHM vai ao Parque e Mateada da Primavera. Desde 2011 também organiza o Natal na Praça Dom Sebastião.

9. Como é formado o acervo do MUHM?

Por doações e já conta com dois mil objetos museológicos, aproximadamente cinco mil livros e dez mil documentos, entre raridades nacionais e estrangeiras e amplo material digitalizado para pesquisa, composto por doações de profissionais e familiares de todo o Estado. Possui ainda um acervo audiovisual.

10. Quais são os projetos do MUHM?

O Museu de História da Medicina do Rio Grande do Sul possui projetos culturais aprovados pelo Ministério da Cultura. Eles envolvem a produção de um livro sobre o acervo do Museu; uma exposição itinerante ― 'Mulheres e Práticas de Saúde: Medicina e Fé no Universo Feminino' ―, que passará por 30 cidades; uma série de entrevistas com médicos para o projeto de história oral do MUHM; e o Natal na Praça Dom Sebastião - evento voltado para os pequenos pacientes do Hospital da Criança Santo Antônio, da Santa Casa e comunidade, envolvendo as entidades do entorno da praça em frente ao MUHM. Os doadores poderão obter dedução de 100% da contribuição dentro do limite de 6% do seu Imposto de Renda. Os interessados em doar para os projetos podem obter mais informações no site www.projetosmuhm.org.br ou fazer contato com a equipe do SIMERS e do MUHM.