Comunidade

29- Setetembro - 2015

Voluntários são homenageados pela Feambra por competência e dedicação

A Feambra acaba de homenagear os voluntários que atuaram no primeiro módulo do programa de voluntariado da entidade. Sua atuação foi no campo de pesquisa, levantando dados sobre a existência de Associações de Amigos nos museus brasileiros. Leia as palavras do coordenador do programa, Gustavo Horta.
 
Fique por Dentro: Qual o objetivo do evento de entrega dos certificados aos voluntários, realizado no dia 24 de setembro?
 
Gustavo Horta: Prestar um reconhecimento justo aos nossos voluntários que se empenharam nestes meses em mapear o Brasil.
 
Fique: Quais as expectativas x realidade observada sobre o perfil e o trabalho dos voluntários que participaram?
 

G. H.: Todas as nossas expectativas foram superadas. O perfil dos voluntários é de dedicação e proatividade. Todo o trabalho foi realizado com muita competência e dedicação.
 
Fique: Quando começará o segundo módulo?
 
G. H.: Nossa previsão é de que comece até novembro.
 
Fique: É possível já divulgar algum dado coletado na pesquisa?
 
G. H.: Falamos com todas as regiões do Brasil, fizemos mais de três mil contatos telefônicos, destes conseguimos falar efetivamente com 1.690 Instituições. Houve 357 respostas aos questionários, na sua maioria vindas das regiões Sudeste e Sul. Descobrimos que 13% dos museus brasileiros possuem associações de amigos de museus. Do total que respondeu, 69% querem montar uma associação de amigos e 68% desejam o envolvimento da Feambra neste processo.
 
Fique: Quais as principais conclusões que já conseguiram tirar do balanço até agora?
 
G. H.: Posto que quase a totalidade das instituições que desejam montar a associação de amigos querem o envolvimento da Feambra no processo, percebemos que a crise acaba por descortinar um campo em plena ascensão e que pode tornar a vida das instituições culturais mais saudáveis em questões econômicas e de gestão, assim como movimentar cada vez mais o sentimento do voluntariado no brasileiro.
 
 
Programa digital promove catalogação e inventário de obras de arte
 
Museus e colecionadores privados acabam de ganhar um presente valioso: o Museu Digital – Coleções. O programa digital promove catalogação e inventário de coleções de obras de arte. Desde 9 de setembro, o programa está disponível em português, sendo gratuito para os museus! Haverá apenas a cobrança de uma taxa anual de administração para manutenção do sistema em rede.
 
Para colecionadores privados, o investimento varia dependendo da categoria no que tange ao tamanho da coleção; para cada obra catalogada e digitalizada, incluindo fotografia e avaliação da obra, os valores ficam entre R$ 175 e R$ 250.
 
Para acessar, basta clicar em http://www.museum-digital.de/br/portal.