Notícia

29- Janeiro - 2016

Feambra vai a Paris participar da Museum Connections 2016

Para iniciar o ano respirando novos ares, a Feambra viajou para a França, com destino à 21ª edição da Museum Connections 2016, no Porte de Versailles, em Paris. Trata-se de uma das mais importantes feiras de museus do mundo, que reúne profissionais de diversas áreas ligadas à cadeia produtiva de museus, com 170 expositores e mais de quatro mil visitantes.
 
Camila Leoni, diretora executiva da Feambra, que foi selecionada via edital do Ministério da Cultura (MinC) para fazer parte da delegação brasileira, esteve no evento para acompanhar, ao vivo, toda a programação. 

 
“Apresentamos nossa atuação no Brasil e os resultados de 2015. Participamos de encontros com o objetivo de estreitar a rede de relacionamento, buscar parcerias estratégicas e ampliar as possibilidades de desenvolver novos projetos na área cultural”, afirma ela, que esteve também com o presidente da Federação de Amigos de Museus da França, Jean Michel Raingeard.  

 
Em dois dias de solenidade, foram ministradas palestras de grandes nomes dos mais importantes museus e da cena cultural do mundo, como Fondatrice, Option Culture, The Workers, Buzzeum,  Museu Van Gogh, Vastari, Royal Museums of Fine Arts of Belgium, Louvre, National Gallery of Danemark, Today Design Art Museum, Walker Art Museum, Ministério da Cultura e  da Comunicação da França, Museé de I’Homme, IDU Interactive, Tate de Londres, Museé de Beaux-Arts, além de workshops com o pessoal do Facebook e do Instagram.
 
Os assuntos abordados foram diversos: a tendência da indústria e o futuro nos museus, robôs nos museus, novo modelo de negócios nas exposições, como ser curador nos dias de hoje, a venda de produtos intangíveis, inovação nos museus franceses, tecnologias para criar ferramentas inteligentes, exposições sensoriais, as influências do Instagram no mundo, realidade virtual, implementação de solução CRM e arte digital.
 
Camila aproveitou a oportunidade para ir também ao Google Cultural Institute, graças à parceria do Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) com o Google. A visita teve como foco o desenvolvimento e a integração de tecnologia com cultura/arte e as visitas virtuais aos museus.
 
“Fiquei encantada com o Google Cultural Institute, que reúne acervo de diversos museus do mundo e documentação histórica de grande relevância para a humanidade“, conclui.