Comunidade

29- Janeiro - 2016

Conheça o Solar Grandjean de Montigny, um patrimônio cultural do Brasil

 

O Solar Grandjean de Montigny é uma preciosidade escondida na Gávea, no Rio de Janeiro. Exemplo da arquitetura neoclássica brasileira e tombado pelo Instituto de Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) em 1938, foi construído, em torno de 1826, pelo arquiteto francês que lhe empresta o nome e que lá residiu até a sua morte. Posteriormente, foi habitado por outras famílias.

August Grandjean de Montigny (1776-1850) chegou ao Rio de Janeiro em março de 1816 integrando um grupo de artistas e técnicos franceses – a assim chamada Missão Artística Francesa, trazida por D. João VI para desenvolver a indústria e a cultura brasileiras.

É uma ampla residência de dois pisos, com varandas sustentadas por colunas, uma escadaria monumental na entrada, e cercada por um grande jardim. Foi transformado em centro cultural, na década de 1980, e passou a ser chamado de museu universitário. Hoje, faz parte do campus da PUC-Rio.

A casa guarda uma biblioteca com títulos do século XIX e o acervo artístico da instituição. As estruturas sofrem com a umidade típica do bairro. Por esse motivo, algumas vezes o local é fechado para obras gerais de conservação. Os projetos de reforma têm participação dos alunos do escritório modelo de Arquitetura e Design da PUC-Rio e são controlados de perto pelo Iphan.

O Solar tem como objetivo incentivar o estudo e a reflexão sobre a arte e a cultura brasileira dos séculos XIX, XX e XXI.

Em 2016, o museu abriga uma programação composta de mostras das cenas da vida urbana dos cariocas, em pinturas e fotografias, exposições periódicas experimentais, apresentações teatrais e lançamento de livros.

Solar Grandjean de Montigny

Museu Universitário

Rua Marquês de São Vicente, 225 – Gávea

Rio de Janeiro - RJ 

Visitação: Segunda a sexta-feira, de 10 às 17h

(21) 3527-1435

solargm@puc-rio.br