Em Foco

29- Março - 2016

Voluntariado e ferramenta tecnológica se complementam

 

Bruna, voluntária remoto da Feambra e Nicolle diretora da it Art

É possível realizar trabalho voluntário remotamente! Em breve, a Feambra, em parceria com a IT.ART, disponibilizará uma ferramenta online para promover encontros entre pessoas interessadas em voluntariado.

Vamos contar como!

 Bruna Rodrigues é nossa voluntária para a área de comunicação e chegou até a Feambra pelo Centro de Voluntariado de São Paulo, pois estava à procura de trabalho voluntário na área cultural e descobriu a nossa vaga.

 Formada em Publicidade e Propaganda pela ESPM (Escola Superior de Propaganda e Marketing), ela alterna reuniões presenciais, para discutir ideias e necessidades da organização com o monitoramento de redes sociais para ajudar a desenvolver ferramentas e buscar informações.

 “Acredito que o trabalho voluntário é uma forma prática e simples de ter um impacto positivo no local onde moramos, uma ótima maneira de contribuirmos com nossas melhores habilidades para o bem-estar social. Escolhi realizar esse tipo de atividade também porque me permite ter contato com a área cultural, uma paixão minha”, afirma Bruna.

 Bruna conta que foi recebida de braços abertos pela equipe, acha as tarefas prazerosas e trabalha motivada com as possibilidades que se desenrolaram no voluntariado. Segundo ela, o trabalho remoto não interfere no andamento das atividades, porque não requer tantas tarefas que exijam a presença com toda a equipe. “Eu analiso o que é feito hoje e proponho melhorias ou novos projetos para envolver os públicos de interesse”, conclui.

 Para facilitar a busca de quem procura trabalho voluntário e de empresas que caçam esses talentos, foi criada pela IT.ART uma ferramenta online de interface entre voluntários e instituições, com vagas disponíveis.

 Conversamos com a diretora da IT.ART, Nicolle Stad, para entender como funciona a ferramenta que foi desenvolvida em 2014 para programa de sócios de museus. Levando a cultura aos seus usuários, por meio da tecnologia, ela convida as pessoas a ver e viver a cidade. A solução é focada na gestão do relacionamento financeiro e comercial, com suporte para venda online e bilheteria fixa e móvel. Nicolle nos deu um panorama desse método completo e atualizado com as novas tecnologias do mercado.

 “A IT.ART vê na Feambra um excelente parceiro, pois temos desafios em comum, como gerar engajamento da população com a cultura brasileira e o auxílio na fomentação e viabilidade de projetos culturais. Desenvolvemos ideias próprias e customizadas para instituições e museus, entregando novas experiências aos seus visitantes”, diz.

 

Principais benefícios da IT.ART:  

- Não há custo de implementação e manutenção;

- Customização exclusiva do layout para o Museu;

- Integração com a plataforma de CRM;

- Gestão completa do ciclo de vida do sócio, desde a intenção de compra até renovação e comunicação posterior para captura;

- Comunicação personalizada com remetente do museu de alta capacidade de envio de e-mails;

- Regras de envio de e-mails programadas ou posterior a eventos definidos pelo Museu;

- Controle de atividades pendentes e faseadas;

- CRM integrado; gestão dos canais de venda; programa de vale presente e descontos integrado; gestão financeira;

- Controle de acesso com cartão nominal e exclusivo;

- Melhorias continuas do sistema de acordo com as melhores práticas mundiais;

- Sistema seguro de acordo com a normas PCI Security Standard, com garantia contra fraudes;

- Sistema de alta performance auto expansível para suportar grandes cargas;

- Relatórios e indicadores gerenciais: performance de vendas por período; financeiro;

- Perfil demográfico dos sócios; controle de entrada;

- Exportação de dados em múltiplos formatos.


 Nicolle também falou sobre a Plataforma de venda e gestão do programa de doação: desenvolvida especificamente para o mercado cultural, visa facilitar e auxiliar as instituições em todo o processo, da captação ao envio do mecenato automatizado.

 “A plataforma é utilizada por grandes instituições no Brasil, é um produto específico para gestão de doações livres e incentivadas, tem conciliação automática com a conta do Banco do Brasil do Museu, quando a doação incentivada. É feito um processamento para doações livres em diversos meios de pagamento, como: cartão de crédito, boleto bancário e paypal - preenchimento e envio automáticos do recibo de mecenato. É feita uma gestão completa dos doadores, desde a intenção até a doação. As regras de envio de e-mails serão programadas ou enviadas após eventos definidos pelo museu”, finaliza Nicolle.